Carta para Deus



Querido Papai,


Primeiramente, permita-me chamá-lo assim. Papai. Vi isso em um livro e adorei a ideia que nos faz parecer tão próximos quanto realmente somos. Chamá-lo Deus, me parece meio inalcançável, distante, e eu sei muito bem que Você não é, e nem está. Bom, também quero que saiba (é claro que sabe), que “Você” também soa melhor que “Senhor” nessa nossa conversa informal. Sabe o quanto Te respeito assim como toda Sua criação. Aliás, gostaria falar-Lhe um pouco dela.


Dizer o quanto sou grato pela vida, saúde, família, amigos, livre arbítrio (embora não saibamos lidar muito bem com ele), oportunidades, e toda Sua obra que nos cerca, é desnecessário. Agradeço todos os dias. Mesmo assim, obrigado de novo.

Mas quero fazer uma ressalva. Não entendo a razão dos cães terem uma vida tão curta. Eles chegam a nossa casa como parte da família, dedicamos nosso tempo e carinho, ensinamos-lhes bons modos, e cuidamos como filhos... Para quê? Quando muito, quinze, dezesseis anos, ou um pouquinho mais... E depois, como ficamos? Eles vão embora levando parte da gente. É uma parte da família que não temos mais. Será que não dá para rever isso?


PS. Mas não mexa em nada em qualquer característica dos bichinhos, tá?



RESPOSTA


Querido Filho,


Permita-me chamá-lo assim, porque você o é. Quanto à forma de dirigir-se à mim, não se preocupe. Trata seu semelhante com respeito e amor, pois assim estará me tratando. E sim, só acredita em um “Deus Todo Poderoso” inalcançável, quem não me conhece, e você está tentando. Também sei o quanto é grato por tudo, escuto isso todos os dias, só não esqueça aproveitar o que possui da melhor forma.


Bom, gostaria de lembrar-lhe de que os cães não tem uma vida curta. Talvez você, que tanto os ama, passe pouco tempo com eles. Eu entendo, é o trabalho, a correria, a família... Aliás, você parece ter dito que “eles” fazem parte dela não é? Por que então o tempo dedicado à eles não é o mesmo? Eles não precisam de você só quando estão com fome, precisando de um banho, ou um carinho só quando o tempo sobrou. Mas é assim mesmo... na maioria das vezes.


E se você está ensinado alguma coisa à seu cão, está perdendo tempo. Ele está aí para ensinar-lhes aquilo que vocês já deveriam saber. São amorosos incondicionalmente, leais, companheiros; e amam o diferente, outra raça, vocês. E se eles vão embora cedo demais como diz, talvez porque seja inútil ficar por mais tempo, ou talvez porque seja preciso ensinar-lhes uma última lição: esse caminho é passageiro. Ame mais à todos porque eles vão embora.

Ainda que tenha tido tantos cães em sua vida, você não irá aprender isso, não é? Talvez agora reflita... passe um tempo a pensar diferente... por quanto tempo? Muita gente já foi embora “cedo demais”... ou então foi você quem não a percebeu por tanto tempo ao seu lado.


PS. Não mexi em nada, mas espero ter mexido um pouco com você.

20 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo