Bordando... uma metáfora para a vida.



Difícil. Algumas vezes foi assim que você definiu a sua vida. É assim com todo mundo. Por mais que tudo pareça estar correndo normalmente, em alguns momentos algo acontece, ou deixa de acontecer, e tudo parece desabar. Felizmente para uns, tudo não passa de uma turbulência momentânea, já para outros, “difícil” poder ser a definição em uma palavra para uma vida inteira.

Não há como negar, os problemas da vida atingem as pessoas de maneiras diferentes. Eles não têm o mesmo peso para qualquer um e nem todas as pessoas irão passar pelos mesmos percalços durante suas vidas. O que nos faz perguntar:

Por que comigo? Por que com ele? Por que agora? Por que dessa maneira?


Como se fossem perguntas diretas à Deus, na esperança de obtermos repostas que justifiquem essas diferenças.


Sabe... Às vezes penso que Ele não tem essas repostas. Na verdade, penso que não é de responsabilidade Dele sair por aí distribuindo problemas para a humanidade, menores para uns, maiores para outros, de maneira aleatória ou pré-determinadas. Não me parece fazer muito sentido. Acontece que, quando somos nós, os portadores de tais problemas, dizer que Deus não tem nada a ver com isso também pode nos deixar meio sem esperanças para tentar resolvê-los. Seria como se Ele estivesse apenas nos dando uma oportunidade para aprendermos algo com tudo isso e, de certa forma, se Deus está por trás, também estará ao fim da estrada para nos mostrar as respostas.


Bom, pensar assim parece mais reconfortante agora. Como na história do garoto que sempre via sua mãe bordando, mas nunca entendia nada do que ela fazia. Ele muito pequeno, sentado no chão, brincando, mas observando a mãe sentada na cadeira, bordando. Olhando dali ele via um amontoado de nós, fios diferentes, curtos, outros longos, cores diversas, uns grossos, outros finos, tudo muito estranho e confuso. Volta e meia ele perguntava à mãe:


— O que a senhora está fazendo?


E ela sempre respondia:


— Estou bordando, filho!


É claro que a resposta não justificava a bagunça que ele via da sua posição. Sabendo disso, um dia sua mãe colocou-o no colo e mostrou o seu trabalho. Então o garoto entendeu tudo. Dali de cima ele conseguia ver todos aqueles fios diferentes, de cores e tamanhos variados, dando forma àquilo que ele não conseguia enxergar lá embaixo. Um lindo desenho bordado, tão claro e perfeito como a mãe via desde o início.


Então isso nos faz comparar à nossa vida quando passamos por problemas e nos voltamos para Deus, questionado:


— Pai, o que está fazendo?


E ele parece nos responder:


— Estou bordando sua vida, meu filho!


Então continuamos perguntando:


— Então por que parece tão confuso... Tudo parece desordenado. Alguns nós, fatos ruins que não terminam e coisas boas que passam rápido. Os fios são tão escuros. Por que não são mais brilhantes?


E Deus parece responder:


— Meu filho, ocupe-se com seu trabalho, com sua família, com sua vida. Confie em Mim. Um dia colocarei você em meu colo e então vai ver o plano da sua vida da minha posição.


Assim parece ser... Muitas vezes não entendemos o que está acontecendo em nossas vidas. As coisas são confusas, não se encaixam e parece que nada dá certo. É que estamos vendo o avesso da vida. Do outro lado, Deus está bordando...


9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo