É difícil ser escritor?



Um dia fui convidado a integrar a mesa de jurados em um recital de poesias promovido por uma escola em minha cidade. Felizmente, esta não foi a minha primeira participação em um evento como esse e, sinceramente, espero não ter sido a última. Adoro todo o universo que envolve os recitais, seja pela divulgação da literatura nacional, poesia e autor; seja pela qualidade das apresentações dessas crianças. Não é nada fácil estar no lugar delas e todas fazem com maestria, seu trabalho. Algo digno de verdadeiros artistas da interpretação, quem sabe até, de futuros atores e atrizes.


Acho importante destacar também o apoio dos pais e familiares que além de acompanhar e aplaudir seus filhos, compram a ideia do evento, ajudando na caracterização e certamente, com os ensaios em casa. A iniciativa dessas escolas é louvável por tudo isso. São recitais bem organizados e que buscam, acima de tudo, o desenvolvimento do aluno na comunicação como um todo.

Mas nada disso me surpreendeu, afinal, já conhecia toda a dinâmica e especialmente a capacidade daqueles alunos, bem como já esperava também toda a evolução que de fato se confirmou, de um ano para o outro. Tudo tão bonito como costuma ser. O que eu não esperava era ver uma garotinha de não mais que seis anos de idade, se aproximar de mim depois de deixar a companhia dos pais e irmã que se apresentara naquela noite e que já recebia os cumprimentos junto aos colegas no palco, meio que me interromper durante as fotos com os participantes para me fazer a seguinte pergunta:


“Moço, é difícil ser escritor?”


Devo dizer que fiquei emocionado com aquela pergunta inesperada, onde mil coisas me passaram pela cabeça como resposta, enquanto eu me abaixava para estar à sua altura, embora, para estar à altura de uma criança de seis anos que faz uma pergunta como essa, eu deveria me erguer com a certeza de não conseguir alcançá-la. Mas vamos deixar as metáforas de lado e continuar.


Eu poderia fazer ali mesmo um discurso sobre como é difícil publicar um livro em nosso país, como é latente a falta de incentivo para um autor iniciante, o quão caro é assumir uma auto publicação bem feita, ou de como todo o marketing necessário para vender toda a sua tiragem custará muito mais caro que aquilo que irá arrecadar com os direitos autorais. Você normalmente não fica conhecido por publicar um livro. Você se torna conhecido por qualquer outra coisa e aí publica um livro. Mas também poderia dizer que há exceções, e com alguma sorte e muita persistência, as coisas podem dar certo.

Essa foi minha mente trabalhando desnecessariamente rápido para responder uma simples e direta pergunta feita por uma criança. Algo que só elas são capazes de fazer. Eu fui fundo, não queria e nem poderia decepcioná-la. Foi então que deixei meu lado adulto para respondê-la como criança, de maneira sincera e verdadeira como ela merecia.


“Não, minha linda. Não é difícil ser escritor. Você só precisa gostar muito de escrever. Ler sempre também vai te ajudar bastante. E toda vez que tiver oportunidade de estudar, não importa qual caminho você escolha, estude. Certamente você será uma grande escritora.”


Eu não poderia ter sido mais verdadeiro, mais sincero. Foi apenas o que ela me perguntou. Ela não queria saber sobre fama, dinheiro, livros, sequer, reconhecimento. Realmente eu não poderia respondê-la como adulto. Algumas crianças sabem o que querem ser. Não estrague isso só porque você não entende o que elas perguntam. Um dia talvez ela se torne uma grande escritora, assim como tantos escondidos atrás de seus fantásticos trabalhos desconhecidos. Se ela vai querer levar isso a um patamar que a torne conhecida e reconhecida, é outra coisa. Por enquanto, tudo que ela quer é alguém lhe diga que é possível... e isso sem dúvida, é.

25 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo